terça-feira, 28 de junho de 2022

Quermesse Junina da Academia Ipuense de Letras, Ciências e Artes

Na noite do dia 26 de junho aconteceu mais uma ação do Projeto AILCA de Portas Abertas - A Quermesse Junina.

Com música ao vivo, Barraca do Beijo, declamações de poemas, barraca de comidas típicas e até Concurso de Talentos da Terra com direito a júri e premiação, a noite na AILCA foi movimentada do início ao final do evento.

Após assinar o  Livro de Presença, o visitante, antes de se dirigir ao auditório, poderia, se quisesse, fazer uma consulta com uma taróloga por apenas 5,00. Depois, poderia adentrar a Casa, tirar fotos, visitar a Cordelteca, folhear livros, comprar comidas típicas e ficar à vontade para curtis as apresentações, que foram as mais diversas.

Organizada pela vice-presidente Telma Lima, a Quermesse não deixou nada a desejar! Foi um evento me memorável!





























 



segunda-feira, 27 de junho de 2022

Membro da Academia Cearense de Literatura de Cordel

 A Academia Cearense de Literatura de Cordel (ACLC) é composta por 50 acadêmicos de diversos municípios cearenses, tem sua sede em Groaíras e como presidente o poeta Charles Melo. Tenho um imenso orgulho de levar o nome de minha cidade RERIUTABA para dentro desta Arcádia.

PS: Estou no cantinho direito, na parte de cima da foto. rsrsr)


domingo, 26 de junho de 2022

Novo cordel: A CASA VELHA DE TAIPA

 Acaba sair meu mais recente Cordel: A CASA VELHA DE TAIPA.



Composto por 16 estrofes de 7 sílabas e com xilogravura do xilógrafo potiguar Jefferson Campos,  "A casa velha de taipa" conta a história em que o eu poético se encontra na velha casa de taipa onde morou e se vê em um porta-retrato. Este retrato, pintado por algum artista, mostra ele, o pai e a mãe em outra realidade, cercado de coisas, diferentemente de sua realidade.

No entanto, ele começa a voltar ao passado e recorda cenas emocionantes vividas décadas atrás; cenas que o retratista que os pintou não conseguiu captar.

Uma leitura emocionante, capaz de nos levar à infância.

Eis algumas estrofes.


A casa velha de taipa

1

Na casa velha de taipa

Onde morei lá no mato

Eu resgatei minha história

Num velho porta-retrato

Mamãe comigo pequeno

Papai de rosto sereno

Posava sem ter vontade

O artista e sua destreza

Tentavam mostrar riqueza

Onde só tinha humildade.

2

Papai empaletozado

Que o retratista criou

Cobrindo a pele queimada

Que o vapor do sol queimou

Mamãe muito maquilada

De roupa branca, engomada

Eu bem gordinho e linheiro

Tinha no sorriso um brilho

Que mais parecia com filho

De um ricaço fazendeiro.

3

Bem assim atrás da gente

Tinha uma verde paisagem

Saltando d’água uns peixinhos

De uma bonita barragem

Um touro gordo pastando

Um belo cisne nadando

Chega suas asas brilhavam

Na barragem reluzente

E bem de frente ao nascente

Uns passarinhos voavam.

4

Quem visse aquele retrato

Com toda aquela magia

Não via o que ti’a por trás

Daquela fotografia

O fato é que o retratista

Com a sua alma de artista

Repleto de boa vontade

Ou talvez sem perceber

Fez assim para esconder

A nossa simplicidade.

5

Mas quando olhei para o lado

Vi num canto da parede

Um torno de aroeira

Onde eu pendurava a rede

Vi mamãe me balançando

Uma cantiga cantando

Me botando pra dormir

Meu irmão se balançava

Mamãe depressa gritava:

“Cuidado pra não cair!”

[...]

Dei uma olhada na sala

Vi nossa maior beleza

Um rádio antigo de pilha

Tocando em cima da mesa

Devidamente forrada

Com a toalha bordada

Que mãe comprou de titia

De tarde o forró troava

Mas às seis horas parava

Pra tocar “Ave-Maria”.

[...]

Meu nariz denunciou

Um cheiro lá na cozinha

Quando entrei nela, vi mãe

Temperando uma galinha

Ela me disse: “Ande! Venha!

Pegue mais dois paus de lenha

Bote no fogão agora.

Pois seu pai já vem chegando!

Escutei ele falando

No terreiro lá de fora.”

[...]

Ali, por alguns minutos,

Fiquei olhando o terreiro

Vi um ninho de rolinha

No galho de um cajueiro

Dois filhotes bem cuidados

Juntinhos, alimentados

Dormindo com confiança

Olhei pro meu velho abrigo

Assim também foi comigo

Nos meus tempos de criança.

16

Na velha casa de taipa

Onde por anos vivi

Após passar muitos anos

Claramente percebi

Que em nossa simplicidade

Existia felicidade

Sempre existiu! Pode crer!

Mas o velho retratista

Mesmo sendo um grande artista

Não conseguiu perceber.

 

João Rodrigues 

sexta-feira, 24 de junho de 2022

Entrega de cordéis à Academia de Letras, Ciências e Artes


No dia 22 de junho, na Academia Ipuense de Letras, Ciências e Artes (AILCA), o cordelista João Rodrigues entregou mais 4 cordéis de sua autoria à vice-presidente da Academia, Telma Lima, para compor o acervo da Cordelteca Gonçalo Ferreira, que fica na Sede da AILCA.


EEIF ANTÔNIO ALVES DE SOUSA VISITA A ACADEMIA IPUENSE DE LETRAS, CIÊNCIAS E ARTES

 





Estudantes do 8º e 9º Ano da Escola Antônio Alves de Sousa, distrito de Campo Lindo, Reriutaba, visitaram a Academia Ipuense de Letras, Ciências e Artes – AILCA – (Ipu) como uma das ações do Projeto Leitura Conectada, que tem à frente a Coordenadora Lindoneide Sousa, da Secretaria de Educação de Reriutaba.

A visita foi coordenada pelo Professor de Língua Portuguesa João Rodrigues, que também é acadêmico da AILCA.
Os estudantes, acompanhados pelos professores João Rodrigues, Leomário Muniz, Tiago Feitosa e pelo Coordenador da Escola Vanderlan Aguiar, chegaram à Academia por volta de 14:30h e foram recepcionados pelas acadêmicas Telma Lima e Francisca Ferreira.
Após as devidas apresentações e terem assinado o Livro de Visitas, Telma Lima os conduziu ao Auditório Delmiro Gouveia, onde houve um Sarau Literário, no qual os estudantes declamaram diversos poemas do poeta Manuel Bandeira – escritor estudado pelas respectivas séries, e fizeram várias perguntas à vice-presidente da Academia Telma Lima, que as respondeu com muita atenção.
A turma do 9º Ano entregou à vice-presidente um livro autografado escrito por eles. No final, várias fotos foram tiradas para registrar o momento histórico e especial recheado de cultura e conhecimento.
A Escola Antônio Alves de Sousa, em nome da Diretora Adriana Alves e do Professor João Rodrigues, agradece à Academia Ipuense de Letras, Ciências e Artes, representadas por Telma Lima e Francisca Ferreira, e aos colaboradores Francisco e Leila, pela imensa atenção dispensada aos seus estudantes e professores.
























quinta-feira, 9 de junho de 2022

Coletânea O CEARÁ E O MARANHÃO

 No dia 18 de junho será lançada, em Fortaleza, a Coletânea "O Ceará e o Maranhão", organizada pela Literarte, com escritores maranhenses e cearenses. Orgulhosamente faço parte deste belíssimo trabalho!!!






 Culminância do Vivência de Criação Poética



Terça-feira (07/06), aconteceu a culminância do Projeto de escrita "Vivência de Criação Poética", ministrado pelo escritor varjotense Mailson Furtado aos alunos do 8º Ano da Escola Deputado Manoel Rodrigues, em Varjota.

O curso teve duração de 7 aulas (às terças-feiras) e 16 horas/aula.

Um sarau, que teve poema e música, foi realizado na Casa de Arte CriAr, e cada aluno pôde declamar seus poemas ou de outros. Durante o evento, houve a entrega dos certificados.

O evento contou com a participação dos cursistas, de professores, escritores e músicos.

Orgulhosamente fiz parte deste momento.










 ALUNOS QUE CONCLUÍRAM O CURSO

Cauê Aragão
Carlos Renan
Amanda Felisbela
Júlia Beatriz
Roberta Lívia
Thaís Rodrigues
Geovana Costa
Kivenny Gonçalves
José Alex 
Ana Clara